Gilson Cunha

GIlson Luis da Cunha nasceu em Porto Alegre, RS. É biólogo, doutor em genética e biologia molecular pela UFRGS, É autor de contos e noveletas em diferentes antologias, além da comédia Sci-Fi Onde Kombi Alguma Jamais Esteve, vencedora do Prêmio Argos 2020 de melhor Romance. Discípulo de Douglas Adams, Harry Harrison, do Barão de Itararé, e de Millôr Fernandes, é um entusiasta do humor na ficção científica.

Títulos do autor

Em meio às infinita possibilidades do multiverso, era muito provável, talvez, inevitável, que, em algum momento, as monstruosas criações de H. P. Lovecraft e seus seguidores, coletivamente conhecidas como Cthulhu Mythos, sob as condições propícias (ou não), terminassem por cruzar o caminho do motorista mais insólito que já cruzou as invernadas do espaço-tempo, e de seu brilhante, porém aterrorizado, colega de aventuras.

Esse volume reúne três noveletas nas quais Os Grandes Antigos têm o azar de encontrar Alfredo antas Fagundes, o arruaceiro espaço-temporal mais grosso já criado à leste de Soledade (Soledade no Rio Grande do Sul. Não confundir com a homônima paraibana), e Otávio Medeiros, um pacato estudante de filosofia e da paranormalidade (Ecziste isso?) e fiel Cremilda, uma Kombi 1963, modelo de luxo, customizada por uma raça de alienígenas mais antiga que a própria Terra, e que agora pode viajar pelo espaço-tempo, bem como através de realidades alternativas, entre outras capacidades adquiridas em sua "atualização". Poderão Cthulhu, Nyarlathotep, e outras divindades menos votadas, consumar seus planos de vingança? Poderá o jovem Otávio salvar o almoço de domingo em família dos maléficos tentáculos das trevas? Poderá Alfredo salvar o universo antes da hora do chimarrão? E como a pior vocalista de todos os tempos se encaixa no meio desse quebra-cabeças? Atenção! Este livro contém fortes cenas de invocações demoníacas, "ortografia" redneck, e consumo de chimarrão. Leia com discrição.

Alfredo é mandado pelos grays ao Japão do fim do século XVI, pouco antes do xogunato Tokugawa. Sua missão: aprender disciplina e controlar seus maiores temores com a ajuda de um monge Zen e um mestre da espada. Mas, em se tratando dele, nada é tão simples. Este conto é um prelúdio de Onde Kombi Alguma Jamais Esteve, romance ganhador do Prêmio Argos 2020 e disponível em livro físico e ebook kindle na Amazon.

Em uma era vitoriana alternativa (sim, mais uma. Mas aposto que você jamais lerá outra tão zoada quanto essa), o Império Britânico impõe sua hegemonia através da ciência, da indústria, e da força de suas armas. Mas, quando tudo isso se revela inútil contra as maquinações de um excêntrico gênio do mal, só resta à Rainha Victoria lançar mão de sua arma mais secreta: a sensual Vapornella, agente especial da coroa britânica ( coroa em todos os sentidos). Conseguirá nossa heroína de folhetim "nem um pouco inocente" desvendar um rapto que poderá levar a Europa ao caos e à destruição? Mistério! Suspense! Erotismo! Humor, e easter eggs providenciados por clássicos da literatura que já se encontram em domínio público! E vapor. Vapor por todos os lados! MUITO VAPOR!

Vencedor do Prêmio Argos 2020 de melhor romance.

Alfredo tem 80 anos e está agonizando, vítima de câncer, em um quarto de Hospital em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Mas, paara esse gaudério de Soledade, a morte não é o fim. Um experimento paranormal, do qual ele participou involuntariamente, mais de quarenta anos antes, será o responsável por sua ressureição, em um corpo clonado por seres extradimensionais conhecidos como grays, que o incumbiram de uma “simples” missão: Salvar a humanidade (e outras espécies) da extinção ou escravidão sob o jugo dos Tarv, uma raça de seres que deseja moldar a evolução à sua imagem e semelhança. Para evitar que isso ocorra, seus mentores o equipam com a mais estranha nave já construída: Sua Kombi 1963, que agora é capaz de viajar mais rápido que a luz, viajar no tempo e cruzar universos paralelos. Eles também o modificaram geneticamente, tornando-o mais forte e inteligente do que qualquer um que já viveu e, virtualmente, imortal. Contudo, talvez isso não seja o bastante

Em uma missão na lendária área 51, Alfredo resgata Otávio Medeiros, também conhecido como Buddy Holly, devido a sua semelhança com o pioneiro do Rock and Roll. As diferenças entre eles não poderiam ser maiores. Otávio é um jovem e sofisticado intelectual urbano. Alfredo, por sua vez, mesmo dotado pelos Grays de vastos conhecimentos, que abrangem desde astrofísica avançada até pérolas de cultura inútil, é, essencialmente, um “índio grosso, mais grosso que dedo destroncado e que adora ser grosso”. Apesar disso e, talvez, por causa disso, os grays incumbem Alfredo e Otávio de investigar tentativas de infiltração Tarv na Terra dos séculos XIX e XX. Agora, ambos precisarão sobreviver a um jogo mortal, engendrado bilhões de anos antes do nascimento da espécie humana. E à vontade de socarem o nariz um do outro...

Frank Noble é um herói que caiu em desgraça com a I.S.H. A (International Super Heroes Association). Um erro, em uma missão, mais de uma década antes, custou a ele tudo o que tinha. Numa tentativa desesperada de se reerguer, ele empreende uma investigação sobre a origem dos seres superpoderosos que começaram a surgir na Terra, ao longo do último século, e acaba conhecendo Rupert Manners, um inescrupuloso, porém simpático, advogado, com o qual inicia sua volta por cima: a criação de uma organização privada para ajudar jovens heróis em início de carreira e veteranos problemáticos.

Ao longo de mais de uma década ele vem obtendo sucesso, ao lado de uma excêntrica equipe, que inclui Sigmund Friendly, um carismático psicoterapeuta afroamericano sexagenário, dotado de um curioso sotaque austríaco e métodos muito pouco ortodoxos, Jonathan Darkness, um misterioso ex-espião e mestre assassino, Douglas Rockembacher, educador físico e ex-fuzileiro naval, traumatizado pelo fato de não ter sido escolhido para a equipe de comandos que executou Osama Bin Laden, e Mary, uma vampira de quatrocentos anos que atende como recepcionista da empresa durante o dia e combatente do crime durante a noite.

A relativa paz que Frank conquistou começa a ruir com a chegada de seus novos clientes: Roger Stevenson, conhecido como Capitão Aeróbica, um cínico veterano de guerra com os poderes de um super atleta, revoltado com o tratamento que recebeu de seu país; Lewis Howlings, um selvagem anão lutador dotado de garras, capaz de se recuperar de qualquer ferimento, veneno ou doença, mas incapaz de esquecer o abandono que sofreu de seus pais; So Long um jovem mestre de artes marciais cujos poderes estão desaparecendo, Angela Fossey uma jovem lady inglesa criada por macacos, com a agilidade e os sentidos de um animal, mas perdida em nossa civilização, Donald Foster, um perturbado funcionário de usina atômica, capaz de se transformar num monstruoso ser com uma força inacreditável e um bizarríssimo sotaque escocês, e Ricardo França, um jovem brasileiro que está apenas aprendendo a controlar um poder nunca antes visto.

Uma série de incidentes aparentemente sem ligação levam Jonathan e Frank ao encalço de uma conspiração envolvendo a I.S.H.A e grandes nomes da política internacional. Agora, caberá a ele e a seu pequeno e disfuncional grupo de heróis desmantelarem a trama antes que ela leve ao fim da espécie humana.

Mãe e filha. Capitã e imediata. Rivais que se odeiam. Uma missão. Uma tragédia. Um segredo nos confins do universo. Um encontro desesperado com o destino. Uma escolha sem volta que mudará tudo o que elas sabiam uma sobre a outra e que pode ser a única capaz de impedir o fim da civilização. Mas estarão elas dispostas a fazer o sacrifício final?

Todos conhecem a imortal obra de Arthur C. Clarke, com suas engenhosas e fascinantes especulações sobre a evolução da humanidade e seu lugar no cosmos. Pois bem, a presente história nada tem a ver com a obra de Clarke. Bem...Mais ou menos. Há um bando de hominídeos sem noção, lutando pela vida nas planícies da África primitiva. Há uma misteriosa raça de alienígenas tentando ajudar esses pobres primatas sem sorte. E também há a singular aventura de um astronauta com sérios problemas de identidade, em uma nave superfaturada, a caminho de Júpiter, enquanto enfrenta a trolagem de um computador metido a engraçadinho, com tendências homicidas e um péssimo gosto musical. E sim. A nave e o astronauta em questão são brasileiros. Idem para o computador que controla a missão. O que poderia dar errado?

Vencedor do Prêmio Argos 2020 de melhor conto.

Num futuro não muito distante, uma estranha mulher é encontrada nas águas da Antártida. Ela é imune ao frio glacial e, a princípio, é incapaz de se comunicar com a equipe de cientistas que a resgatou. Com o tempo, ela descobrirá que se perdeu em seu mundo para se reencontrar no nosso, mudando ambos para sempre.

Ganimedes, lua de Júpiter, Século XXIII. Ao investigar a suposta morte natural de um decadente magnata humano, um detetive robô, cínico e enferrujado pelos anos, será obrigado a rever seus conceitos sobre a vida, a morte, o amor e o preço da recarga de suas baterias. Raymond Chandler encontra Isaac Asimov neste conto policial noir futurista (ma non troppo).

Todo o casal costuma brigar de vez em quando. Mas, no paleolítico, discutir a relação pode acabar em hematomas e, até, algumas costelas quebradas. Felizmente, para a sorte de Mugh e Donka, eles contam com o mais improvável cupido do universo. Ou algo bem parecido...

Um pequeno conto sobre amizade, família, churrasco e pancadaria, não exatamente nessa ordem, para o Brasil em prosa, em 5996 caracteres.